Mas em sua 2ª FASE, Microgeo® VAI ALÉM

  • Aumenta a LUCRATIVIDADE da produção:
  • Reduz a incidência de pragas e doenças;
  • Melhora o estande da cultura;
  • Aumenta a eficiência das operações agrícolas;
  • Melhora o armazenamento e infiltração de água no solo;
  • Aumenta a eficiência do manejo nutricional.

Por ser um produto inovador, MICROGEO® não se limita apenas aos benefícios da reestruturação do solo. Ele também proporciona:

  • Sanidade da Cultura

    • Otimização do Manejo Integrados de Pragas e Doenças;
    • Indução de resistência às pragas (ex.: ácaros e mosca branca);
    • Maior intervalo entre as aplicações dos defensivos;
    • Associações biológicas benéficas nas raízes;
    • Redução dos danos provocados por nematoides e doenças radiculares com solo mais supressivo;
    • Menor mato competição devido ao fechamento mais rápido das culturas;
    • Redução de custos;

  • Estande de Plantio

    • Aumento de janela operacional de plantio;
    • Aumento da área efetiva plantada;
    • Melhor plantabilidade;
    • Germinação e emergência mais homogênea;
    • Maior uniformidade no estande;
    • Redução de plantas dominadas;
    • Melhora na arquitetura da planta;
    • Maior opção de diversificação e rotação de culturas;

  • Capacidade Operacional

    • Economia de Combustível;
    • Redução da demanda da potência do trator;
    • Possibilidade da retirada da “botinha”;
    • Ganho de eficiência operacional;
    • Redução de operações mecânicas no solo;
    • Garantia da manutenção do plantio direto;
    • Economia na manutenção das máquinas e implementos;
    • Otimização do cronograma de plantio no calendário agrícola;

  • Água no solo

    • Maior resistência no estresse hídrico;
    • Redução do efeito da salinização sobre a cultura;
    • Maior Capacidade de Armazenamento de Água (CAD);
    • Aumento da Capacidade de Campo (CC) e menor Ponto de Murcha Permanente (PMP);
    • Otimização do manejo de irrigação;
    • Economia de energia elétrica;
    • Economia do volume de água;
    • Maior eficiência da fertirrigação;
    • Redução do estresse térmico na cultura (picos de temperatura);
    • Maior eficiência dos herbicidas e defencivos sistêmicos;

  • Manejo Nutricional

    • Maior absorção de nutrientes pelas plantas;
    • Maior aproveitamento dos fertilizantes e corretivos;
    • Solubilização de minerais e nutrientes fixados no solo;
    • Ciclagem da matéria orgânica;
    • Opção de adubação de fontes minerais menos solúveis (fosfatos naturais, etc.);
    • Maior eficiência na adubação a lanço;
    • Maior volume explorado de solo pelo sistema radicular;
    • Maior eficiência nutricional;
    • Readequação no manejo nutricional;

  • Lucratividade